"Ainda acha que a crítica musical em Portugal é uma merda?Sim. Será por isso que a crítica é tão unânime em relação aos Xutos? N tem outra hipótese." ZéPedro

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Gamanços à parte...

Parece que depois do gamanço da cáminete dos Xutos estes viram-se obrigados a usar instrumentos de uma banda de covers. Apesar do discurso dos "instrumentos únicos e de valor incalculável" (mas que anda à volta de 100000€, disseram os Xutos mais tarde) quem esteve no dito concerto não notou grande diferença. De facto, os Xutos são muita bons...

Cóbu

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Da série, onde está a carrinha dos Xutos


Presa num buraco da parede enquanto tentava assaltar um supermercado


(Nem assim consegue ser original)

domingo, 5 de setembro de 2010

Mais uma para o molhe



Pudesse a macacada ter fim e isto não teria acontecido. Mais uma vez a prova provada daquilo que temos vindo por aqui dizer: Os Chutos nada mais são que uma marca. Gerem um negócio de estampagem de produtos com o seu logo e alimentam a sua notoriedade com 3 músicas dos saudosos anos 80.

Parece mesmo que a única coisa de novo que tem trazido ao mercado são estas aberrações para que os matulões tenham mais uma desculpa para sovar as pobres crianças que nada lhes resta a não ser enquanto vêem a palma da mão do buller a tapar-lhe os sol da cara aquela cara de arrependimento de alguma  vez ter pensado que ter coisas dos Chutos era fixe...

Ps. Por onde andará o Osvaldo?

quinta-feira, 24 de junho de 2010

carvalho silva xutos1 Carvalho da Silva diz que música dos Xutos é que é




<< Em Abril do ano passado, o novo disco dos Xutos & Pontapés conseguiu a proeza de agitar o governo e deixou José Sócrates à beira de um ataque de nervos, a poucos meses de eleições legislativas. Mas a música "Sem eira nem beira", cuja letra apelava ao "senhor engenheiro" "um pouco de atenção", não teve sequer tempo de se transformar em manifesto político. A banda apressou-se a declarar publicamente a sua simpatia pelo primeiro-ministro e garantiu que nunca quis fazer "um ataque político". Faltarão razões para protestar? Numa altura em que Portugal atravessa uma das crises mais graves da sua história, os músicos que entoaram a Revolução de Abril acreditam existir todas as condições sociais e políticas para que a canção volte a ser uma arma. Mas para isso, avisa José Mário Branco, "é preciso que o movimento parta da rua". >>


in ww.ionline.pt


A música de revolta de pacotilha por encomenda para gerar uma polemicazinha, alimentar-la e pouco depois deixar-la cair continua na agenda dos media. Como podem os Xutos apregoar uma postura contra sistema que, ao mínimo de calor, "se apressa a declarar publicamente a sua simpatia pelo primeiro-ministro". Isto depois de um inesquecível episódio de acusação/insinuação de que a música estaria a ser varrida dar rádios por algo ou alguém que não quer que esta seja ouvida de maneira nenhuma. 


Para os xutistas, a teoria da conspiração parece mais verosímil que a notória falta de qualidade da dita cançoneta, mesmo depois da retracção pública dos Xutos eles continuam a ser Portugal, povo e anti-sistema. 


Ah valentes, são isso tudo e um pouco mais ricos com esta adoração do vazio (perfeito) de conteúdo "apeneirado" por polémicas construídas e desconstruídas numa semana. Foi tipo um lusco fusco... 5-7 dias para a tinta verter e depois corta-se a barracada com um "Ah e tal não tem nada a ver o facto de termos escolhido o termo Sr. Engenheiro por causa do Primeiro Ministro com o senhor Primeiro Ministro".


Como diria o próprio Sócrates nos seus bisemanais show offs na AR:


- Ridículo sr. Deputado... 

sexta-feira, 18 de junho de 2010

A charada do Restelo

Agora que a poeira assentou vamos então descobrir afinal se aquilo encheu ou não. Como? Lá não me apanhavam nem morto, por isso vamos recolher os testemunhos de quem foi. Onde? Na Blitz pois claro.


Primeiro que tudo, não estavam 40 mil no Restelo, nem de perto nem de longe. No relvado havia espaço de sobra quer dos lados quer atrás e as bancadas estavam vazias, só nos topos VIP, tinham os alarvos do croquete que foram lá para a fotografia e beber copos à pala.
A
gora ninguém fala dos 20 mil convites oferecidos, é triste gabaram-se que são os maiores, palco e produção à U2 e estádio Esgotado. Isto sim é a miséria e a mente mesquinha do português a falar.
E a produção foi muito má, filas interminaveis para tudo e mais alguma coisa.
Estádio Esgotado e produção à U2, dá-me vontade de rir. Epá estive nos U2 em Camp Nou e nos Coldplay no Estádio Olimpico de Barcelona, isso sim concertos esgotados e mega produções à séria.



by joca666




Eu era o bilhete de relva 15 mil e tal, e já comprei na semana passada (27 Setembro), só para teres uma noção. Pior que má informação são camelos que dão informação sem fazer a mínima do que falam...


by pedradas




CALMA LÁ! Pessoal, calma... Que exagero... 40 mil pessoas??? Concerto esgotado??? Estavam cerca de 30 mil pessoas no Restelo. Bancadas meio despidas e espaço de sobra no Relvado quer nas laterais, quer atrás. Acho que os jornalistas da Blitz já se esqueceram do que são 40 mil pessoas ou um estádio lotado, eu estive em dois nos dois últimos meses, U2 em Camp Nou e Coldplay no Estádio Olímpico de Mont Juic em Barcelona.
Marketing atrás de marketing,
o meu convite era acima dos 14000 mil, só isto diz tudo, foram oferecidos perto de 20 mil convites e mesmo assim não esgotou, já a tão divulgada e gabada mega-produção à Rolling Stones e U2, epá tenham juizo. Foi giro, estava engraçado mas atenção... esperava muito mais, o que se viu foi algo que já se faz, mas um pouco maior... nada de novo... Agora todo este exagero à volta deste concerto mete dó. 



by joca 666




Ok que os Xutos de hoje não são os Xutos de há 20 anos atrás. Plenamente de acordo. Os últimos álbuns foram de uma banalidade constrangedora. A polémica da censura de "Sem Eira nem Beira" era desnecessária (os Xutos deram azo à mesma, apesar de depois terem tentado dar a volta). Os novos singles (MRV lembrou-se bem de "Ai se ele cai") deixam uma azia a quem se lembra de "Homem do Leme", "Não sou o Único" ou "Conta-me Histórias". 


by Robert Naja

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Gramofones



Um anónimo qualquer, para além da total e absoluta idiotice de criar um anti-anti, anda por aí a bradar aos céus acusando-nos de querer destruir o bom rock português, sobre isso:

1 - Os Xutos não fazem bom rock.

2 - Se alguma coisa, o fim dos Xutos libertaria espaço para outras (essas boas) bandas de rock nacional com identidade e com novas sonoridades.

Por isso, e vendo bem as coisas, tu sim és um destruidor do bom rock. Tu e outros como tu que se agarram a uns gramofones vestidos de cabedal a reciclar constante e sucessivamente glórias de um passado que já, de gasto, cai no ridículo. Eles e todos que a eles assistem como se um concerto destes senhores fosse um culto pagão ao retrógrado 10, 20. 36 pi 200 vezes...não interessa, é sempre giro.

domingo, 6 de junho de 2010

Blog anti-anti-xutos (RErelevante)

Gostámos de ver que provocámos já a REcriação de um blog anti-anti-xutos! O dito encontra-se em http://esmagar-os-anti-xutos.blogs.iol.pt/ (a 26 de Abril de 2009) e agora o http://esmagar-anti-xutos.blogspot.com/. O seu autor é alguém que critica a existência do nosso blog argumentando que devemos ter muito tempo livre (!). Obviamente que ele teve uma resposta à altura e criou também um.

Não resistimos no entanto a retaliar e reapresentamos o blog anti-anti-anti-xutos, que podem visitar em http://anti-anti-anti-xutos.blogspot.com/ . Alertamos desde já no entanto que, tal como o blog anti-anti-xutos, o blog anti-anti-anti-xutos não detém qualquer tipo de formatação nem de conteúdo aproveitável. Poderá igualmente conter erros, frases sem sentido e outro tipo de merdas fixes. Ou não.

sábado, 29 de maio de 2010

Ricardo Santana, A Mascote


Ricardo Santana, de 19 anos, estudante do 12.º ano, de Odivelas,  é a nova mascote do noss blog.

O Ricardo é exemplo de pura devoção: quando tinha apenas três anos, o pai começou a levá-lo a concertos da banda. Tomou-lhe o gosto e já perdeu a conta à quantidade de concertos que viu dos Xutos. Só no ano passado, foram 36 concertos que assistiu. 

Queremos encontrar este Ricardo e tentar compreender o que espera ele de uma banda a partir  do 3 ou 4 concerto num espaço de poucos meses.

Ricardo, se existires, entra em contacto connosco, queremos conhecer a nossa mascote.


Xutos & Pontapés (sempre) iguais a si mesmos


Quem vai a um concertos dos Xutos & Pontapés já sabe ao que vai. 

E apesar de um concerto do grupo não ser uma completa novidade, era visível que entre as milhares de pessoas que passaram pelo festival, muitas estavam ali para voltar a ouvir as canções dos Xutos & Pontapés, se tivermos em consideração a quantidade de T- -shirts do grupo que se "passeavam" pelo recinto na passada quinta-feira.
Passamos pela entrada principal do festival e vemos um grupo de adolescentes a cantar em uníssono Não Sou o Único.
Junto ao palco foram muitas as centenas que acompanhavam de cor e salteado cada canção que o grupo interpretava. No final, com A Minha Casinha, mal precisaram de acompanhamento musical para entoarem na perfeição a música.
No entanto, não foi só de grandes sucessos que se fez o concerto no início da noite de quinta-feira. E este facto mostrou como as novas canções dos Xutos & Pontapés estão bem longe de terem a capacidade de se tornarem em clássicos instantâneos como são temas obrigatórios como Circo de Feras ou Chuva Dissolvente.
Perto do final do espectáculo Kalu, baterista, chegou-se à frente de palco e deu voz à canção Tonto, apenas acompanhado por Zé Pedro na guitarra. Antes de se despedirem o músico ainda agradeceu a Roberta Medina, vice-presidente do festival. E no final a maioria teve o que queria: uns Xutos & Pontapés iguais a si mesmos.

in www.dn.pt

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Sorteio

Vamos sortear um bilhete para o dia de hoje no RIR 2010.

Quem acertar na questão "Porque é que os Xutos não produzem um sucesso desde 1994?" recebe um link para um video no youtube onde um bilhete muito grátis será encostado a uma fonte de calor.

Boa sorte!

RIR à gargalhada 2010



Pela terceira vez consecutiva, os Xutos e Pontapés vão tocar no Rock in Rio. Para além do notório odor nauseabundo a naftalina que esta notícia tem convém notar a novidade, a surpresa, a inovação que a banda vai apresentar no dia de hoje. Eles não vão começar com os Contentores. Eles não vão atirar desfarçadamente 2-3 músicas do novo álbum para depois voltarem aos tempos da brigada do preto e branco. Salutar ainda a passagem da "hora mágica" das 19h para a hora mágica do "vou para casa que amanhã é dia de trabalho", o que diz muito sobre os xoninhas que dizem, com orgulho de anormal, que "os Xutos são cabeças de cartaz do Rock in Rio".

Esta condicção de fluffers de bandas como os Muse assenta-lhes bem. A sério! Será a única oportunidade em 25 anos que terão para estar perto de novo de um sucesso.

Eu irei lá estar. Mas não se preocupem os esperançados odiadores do blog sairei do recinto antes dos Xutos começarem a tocar. Pena é o trânsito que vou apanhar.




segunda-feira, 24 de maio de 2010

Globos de ouro


Não pudesse viver o mundo ocidental português sem uma pseudo gala de brincos e vestidos emprestados tinham de vir aclamar os Xutos como a melhor banda portuguesa. Disso nada a dizer a não ser o óbvio. Se é o portuga que vota, o manancial de fanáticos Xutos encarregar-se-ão de formalizar a coisa, mesmo se surpresas como os Oquestrada ou os Virgem Suta merecessem de caras o prémio.

É assim neste nosso cantinho.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

A Imagem da bloga


Ainda hoje estranho o alinhamento estéril e bandido da esmagadora maioria dos media. Um cliente habitual desse alinhamento é o a imagem do som, esse profícuo blog da suposta reportagem fotográfica que já se atira para o reporte jornalístico.

A última pérola que tive oportunidade de verificar tratou-se desta reportagem com o intuito de verificar se os Xutos & Pontapés aguentavam a bomboca depois do pseudo-hiper-mega concerto do Restelo. Qual pergunta de retórica, o blog foi peremptório ao afirmar "Os Xutos & Pontapés deram um excelente concerto. Revisitaram, de forma eficaz, uma carreira de trinta e um anos. Para os mais cépticos, fica a certeza de que há vida para além do concerto do Restelo."

Para além da redundância em que o artigo cai ao afirmar que revisitaram a carreira de 31 anos de uma forma eficaz e depois de terem exigido que "após o estrondoso sucesso que revestiu aquela mega produção, que não bastaria surpreender, seria sempre forçoso inovar, fazer diferente, melhor, se possível."

O fatalismo do diferente e melhor ser impossível é rebatido com um "Diferente. Interessante" aquando da descrição de uma cantiguinha duma música chamada Submissão acompanhado apenas por guitarra. 

Esta necessidade de superlativar o insuperlativável cai no ridículo. Alguém diga ao repórter de serviço que comentar concertos repetitivos com adjectivações de PODEROSOS ou BRUTAL acaba sempre num lugar muito pouco simpático e ainda assim menos respeitável.

Este blog tem um ano e um mês, aos mais indefectíveis acompanhantes fácil será recordar a similaridade entre o que se passava nessa e nesta altura do campeonato. O rally das tosgas, tascas, Semanas Académicas, Festivais de Verão, Festas de Verão e eventualmente de campanhas políticas já recomeçou...sempre de braços cruzados em rendição e de lenço vermelho ao pescoço e um ano perdido para se ganhar alguma vergonha.  

terça-feira, 18 de maio de 2010

Expliquem-me lá como é que elevaram a fasquia?

O concerto abriu com o clássico ‘Contentores’, o que deixou o público ao rubro desde o início: “Elevámos muito a fasquia, acho que corresponde muito bem àquilo que as pessoas estão à espera, vêem com agrado e participam”, manifestou Zé Pedro, guitarrista dos Xutos & Pontapés, em declarações à comunicação social. 

A banda tem estado sempre presente em todas as edições do Enterro da Gata, actuando à sexta-feira, encerrando, assim, a semana de concertos. 



in jn.pt

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Expliquem...

...porque é que as músicas dos Xutos, juntamente com os patinhos e Quim Barreiros, fecham as noites nas discotecas?

terça-feira, 4 de maio de 2010

Opiniões dispersas pela web (II)

Xutos e Pontapés, não percebo o sucesso desta banda... tudo bem que há 25 anos atrás não havia mais nada em Portugal, nem música nacional (que não se fazia, e continua sem se fazer grande coisa, salvo raras exepções) nem música estrangeira (que não chegava cá), e as pessoas tinham que se conformar com o que havia! Xutos eram das únicas bandas de rock em Portugal. 


Mas hoje em dia, com um panorama musical muito mais rico, não consigo encontrar explicações para que estes continuem a ter sucesso... poderia comprender que as pessoas mais velhas continuassem a ouvi-los por causa de toda uma carga nostalgica e emocional que os Xutos poderiam transportar, e mesmo assim custa-me, porque con tanta variedade dentro desse género que é o Pop-Rock-Soft-Apunkalhado que eles fazem não faltam bandas de maior qualidade pelas quais optar. Por isso ainda fico mais espantado com a malta mais jovem que "adora" Xutos, porque estão, ou deveriam estar, livres do peso temporal e nostalgico. 


Podemos respeitar os Xutos pela influência que tiverem e continuam a ter na música portuguesa, pela coragem de ter feito algo de diferente na altura em que começaram... toda a era tem um fim, mas eles continuam inexplicavelmente por cá. Cada disco novo de Xutos que é lançado é pior que o anterior e os singles então... no entanto continuam a ser uma das bandas mais caras, se não a mais cara, e continuam a encher concertos pelo pais fora. Na verdade eles continuam a valer-se dos exitos antigos, que são as músicas que toda a gente sabe e toda a genter quer, para sobreviver... 


Eu diria que são dos músicos mais sortudos que conheço, porque eles nem sequer são bons músicos, o Cabeleira é uma exepção, no entanto conseguiram. Muitas vezes ouvimos bandas/artistas a queixar-se que se fossem americanos/ingleses teriam muito sucesso... até pode ser verdade, mas eu arrisco-me a dizer que no caso dos Xutos isso seria uma grande mentira, há mais de 30 anos que já se faz rock lá fora, e os Xutos na altura do seu inicio não trariam nem novidade nem qualidade ao que já se fazia. É como diz o ditado "Em terra de cegos, quem tem olho é rei".


por Merdabot

segunda-feira, 3 de maio de 2010

...do costume

Xutos e Pontapés deram o espetáculo do costume no segundo dia de Semana Académica

Foto

Não é novidade para ninguém, os Xutos e Pontapés na Semana Académica da Universidade do Algarve “jogam em casa” e, ontem à noite, no País das Maravilhas voltaram ao País das Maravilhas depois de um ano de interregno, num recinto quase lotado. 

(...Depois, Xutos e Pontapés, e está quase tudo dito. A banda de Tim, Kalu, Gui, Zé Pedro e João Cabeleira sabe como ninguém colocar um recinto quase cheio a saltar e a cantar músicas que, quer se seja fã - ou não - da banda, toda a gente sabe de cor. 


É triste quando o próprio repórter não sabe o que escrever sobre um concerto...


sexta-feira, 23 de abril de 2010

Quanto custam os Xutos ao Estado por ano?



Neste segmento, a congeminação de anti-xutistas vem fazer voz ao coro de protestos quanto aos gastos excessivos a que o nosso Estado nos submete. Através de medidas acutilantes e pontuais vamos fazer do Estado uma máquina de poupar dinheiro através da criação de pacotes de limitação de investimento às Câmaras Municipais que, invariavelmente, financiam estes ajuntamentos de pessoas dos copos que organiza festas com o intuito de beber mais copos e esquecer por umas noites a insignificância da sua existência material. 

Posto isto, o MEDIDAS EXTRAORDINÁRIAS CONTRA OS QUE USAM INDEVIDAMENTE DINHEIROS DO ESTADO (MEC.QUI.É)  propõe o seguinte projecto. 

Considerando que os Xutos e Pontapés são contratados por:

Associações de Estudantes
Associações Académicas
Associações de Juventude
Bombeiros Voluntários
Câmaras Municipais
Partidos Políticos (Especialmente afectos ao PS) 

cujos rendimentos provêem de:

Transferências do IPJ
Transferências do Estado

Vamos fazer contas:

Como sabemos que os Xutos vendem o pack light a €46 000 por noite, ao qual se deve somar o consumo energético, as perdas de produtividade de chamadas para a polícia de velhotes ressabiadas com a  barulheira, dos funcionários das câmaras que tem de limpar a javardice na manhã seguinte  e os traumas que demorarão anos a ser tratados nos sofás de consultórios de psiquiatria um pouco por todo o nosso país. 

Tendo eles tocado 90 vezes no ano passado temos (eu e tu contribuintes) uma factura para pagar de uns mirabolantes € 4.140.000,00 por ano. Sim, leram bem, cerca de quatro milhões de euros para dar guarida a estes dinossauros cujo asteróide teima em não cair. 

Como manda a lei, vamos fazer o comparativo e verificar o que se poderia ter feito com este valor:

 0.0186% do Déficit do Estado
 ou
 3 escolas públicas
 ou
 450 estágios na função pública
 ou 
 cerca de 7.000.000 de minis Sagres, três presuntos serrano e uma embalagem de palitos
 ou 
 8500 viagens de avião para a Suazilândia (bilhetes só de ida)
   

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Tim, o Ambientalista



O vocalista da banda Xutos e Pontapés Tim é o padrinho da candidatura do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina ao concurso «7 Maravilhas Naturais de Portugal», que serão conhecidas numa cerimónia a ter lugar nos Açores, no dia 7 de Setembro deste ano.
O vocalista da banda portuguesa, com fortes ligações ao concelho de Odemira, passou férias durante a sua infância na vila de São Teotónio e na Zambujeira do Mar (Alentejo), locais que ainda costuma frequentar.

Segundo nota de imprensa da Câmara de Odemira, «quando os Xutos e Pontapés estavam em início de carreira deram um concerto na Associação Cultural, Desportiva e Recreativa da Zambujeira do Mar, sendo desde uma presença assídua nos eventos do concelho».

A Michellin tem o boneco e Odemira tem o Tim, combinação perfeita para quem quer promover os verdejantes campos e praias onde se realizam grandiosos concertos que, invariavelmente, os Xutos participam. 

De novo, é de admirar a paixão do Tim pelos "ambientes da pesada". O Al Gore é um menino se comparado com a capacidade de priorizar a urgência ambiental que a região do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vincentina reclama. Claramente este apoio do Tim vai dar um avanço à candidatura para a conquista do desejado estatuto de "Maravilha Natural", ou não. Seja como seja o Tim já é uma maravilha por si só por isso tudo o que venha por arrasto ainda fica mais maravilhoso...


segunda-feira, 19 de abril de 2010

Opiniões dispersas pela web



Quando era puto e comecei a ouvir rock, Xutos foi das 1ªs bandas por quem me interessei, não só por causa da musica mas também pelas boas letras, certamente diferentes da restante palhaçada do rock nacional. Embora não tenha ilusões que há muito que Xutos se tornou em musica para o povo, rock sem qualquer conteudo relevante, que há muitos anos não editam algo de jeito, este desmarcar de posições não deixa de ser decepcionante. Estes gajos atingiram uma posição que muita banda invejava, podiam fazer o que quisessem, usar a posição que têm para disparar em todas as direcções, fazer crítica social a sério, denunciar tudo e mais alguma coisa e no entanto acobardam-se desta forma. Compreendo que não queiram a musica deles usada em campanhas de outros partidos políticos (eu, se tocasse em alguma banda, também não quereria musica minha em comícios e campanhas) mas deviam ter tomates e chamar os bois pelos nomes, não pactuar com o sistema com esta atitude de compromisso cobarde. Enfim, que se pode esperar de quem recebeu medalhas no dia de Portugal?

Razor - link

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Plágio!

Ao que tudo indica os Pearl Jam, esses arautos do arrastismo musical, estão sem ideias. Para preencher o cardápio criativo mais recente enfrentam a falta de ideias com um gamanço à moda antiga de uns rifos guitarrísticos da “Maria” dos Xutos. Para além da constatação do óbvio, em que os PJ foram ao baú dos Xutos buscar uma das malhas mais velhinhas não se dignando a plagiar algo tão bom como “O mundo ao contrário”, “Perfeito Vazio” ou a minha favorita “Pensão”….

É feio, não é bonito (Mário Soares 
dixit) mas temos de admitir que a versão ficou bem mais jeitosa. Pelo menos não é tão repetitiva como a sua irmãzinha aportuguesada.





quarta-feira, 7 de abril de 2010

Mais uma festarola da vinhaça





Ávinho - Festa do Vinho e das Adegas (Aveiras de Cima - Azambuja)
As adegas das ruas da Ameixoeira e António Amaro dos Santos, na freguesia de Aveiras de Cima, concelho de Azambuja vão estar de portas abertas ao público entre os dias 16 a 18 de Abril.
À chegada, os visitantes recebem uma caneca de barro a troco de dois euros, que os acompanha ao longo das 15 adegas privadas, depois, é beber à discrição.


A gastronomia também está presente, ao longo das ruas é possível provar os petiscos locais, em pequenas tasquinhas. A animação está a cargo de bandas itinerantes, que acompanharão os visitantes de adega em adega e, no Palco da República, é montado um palco para espectáculos nocturnos, com destaque para a actuação dos OqueStrada (dia 16), e de Tim (vocalista dos Xutos e Pontapés)(dia 17).




in PUBLICO.PT

terça-feira, 6 de abril de 2010

Carta aberta ao sr. Osvaldo Garcia


Caro sr. Osvaldo



Como está? Bem disposto? Por aqui tudo bem até ao Natal, obrigado. Olhe, decidi escrever-lhe depois de ter lido a notícia da sua aventura privada a África, em cima de um cangalh... hm... de um destroç... er... de uma moto (e não MOTA! Não se diz motaciclo, mas motociclo!) onde, injuriosamente, o fabricante teve a infelicidade de colocar o nome do colectivo de baile e variedades Xutos & Pontapés (na volta, estava a apontar para o suicídio comercial). Por muito nobre que seja a sua viagem (que nem é, convenhamos, pois fazer uma viagem de tantos milhares de kilometros para entregar seja o que for a uma equipa de futebol só se pode traduzir por palavras como provincianismo, ligeireza de carácter e, mais gritante ainda, perda de tempo injustificada. Vá, o que você quer mesmo é andar na boa baiela, porque se quisesse fazer algo de útil, levaria medicação no "burro" para minimizar as doenças de muitas das zonas por onde vai passar), pergunto-me: não será de mau tom entregar seja o que for a quem quer que seja montado numa Famel com autocolantes dos Xutos? Quero dizer, fosse eu algum ditador tipo Mugabe e se o visse nesses preparos convidava-o para chefe da minha polícia secreta, pois com essa aparência com certeza assustaria o povo e a oposição. Osvaldo, Osvaldo, Osvaldo... onde é que tudo correu mal?!? Já pensou que, God forbid!, se a sua moto empanar no meio de um qualquer deserto da áfrica subsaariana, nem os mujahedins lhe prestariam auxílio? Decerto pensariam "Não pode ser um enviado de Deus! Não... naquilo!". Assim, sr. Osvaldo, e se quiser fazer algo de útil pela sociedade (assim como nós fazemos no blog antixutos.blogspot.com), sugiro 3 simples passos para começar:

1) Escolha outro modelo de moto. Pelo que sei, a AJP é a única empresa fabricante de motociclos em Portugal, e logo por aí deve ter mais um ou dois modelos em carteira (acho que uma AJP Delfins ou até uma AJP Santos & Pecadores seria de melhor tom).

2) Desmarque-se de qualquer ligação possível com os Xutos & Pontapés. Oh sr. Osvaldo, quero dizer... SÃO OS XUTOS&PONTAPÉS, OK?!? Depois queixe-se que já ninguém lhe liga e que os amigos viram a cara para o lado quando se cruzam consigo na rua...

3) Faça algo REALMENTE ÚTIL. Quer sugestões? Leve medicação para África! Leve preservativos! Não leve cd's dos Xutos para África, que eles por lá já têm doenças de sobra! Sei lá: faça um filho, vá beber uns copos, faça bungee-jumping sem elástico, whatever! Agora... levar uma bandeira a uma equipa de futebol... sim senhor... prime time...

Grato pelo tempo dispensado

João Correia

(colaborador do Movimento Antixutos Português)

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Raide à página do FB dos Xutos

Por um sentido de dever cívico que é bater em fãs de Xutos, fomos ao ninho de tamanhas e desmedidas bajulações deixar um pouco do nosso veneno. Como esperado, os xutistas portaram-se exactamente como esperado...


quinta-feira, 1 de abril de 2010

Adão e Erva



Dei de caras com esta entrevista que remonta ao saudoso ano de 1998 onde Zé Pedro e Tim descrevem, no seu estilo habitual, o delicado e laborioso processo criativo que culminou na banda sonora para o filme Adão e Eva. Uma entrevista ao Público conduzida por alguém cujas iniciais são F e M.






FM – Em que base é que compuseram? Viram o filme já completo? Apenas algumas partes? Não viram?
TIM – Groos modo, contaram-nos a história do filme. Lemos o guião para ver que tipo de história era – uma história da pesada.

Não sei, sinceramente, que quer Tim dizer com Groos modo. Deve ser holandês com sotaque alentejano..um daqueles que vai para lá plantar batatas e enche-se de dinheiro enquanto o tuga o inveja. De notar ainda a qualificação da história do filme (argumento para o resto dos comuns mortais) como algo "da pesada". Tim então concluiu que iria compor música sobre algo "da pesada", como ele.

ZÉ PEDRO - ...a partir daí, com o Joaquim Leitão, que nos foi dando ideias, sugerindo para tema-base algo mais ambientalista. 
Cá está, Zé Pedro na senda das modas...Já em 1998 (imagine-se) os Xutos assumem uma mensagem "verde" para salvar o nosso planeta....qual Al Gore qual carapuça...Zé Pedro é que é. Isso ou o facto de ele não saber o que que dizer ambientalista e/ou quereria dizer que queria compor algo que tivesse a ver com o filme. 

Seja como for, bronco ou não bronco, ele é o maior.

FM – Não tinham uma ideia geral do argumento?
TIM – Era a introdução, o genérico inical, a cena dos “caldos”… Sempre com uma sensação muito frágil, apenas com base em algumas montagens do trabalho em que os diálogos ainda não estão certos.

Nem quero saber o que era a cena dos "caldos". Seja o que fosse dava uma sensação muito frágil, de quê ou porquê ninguém sabe. Resumindo, o Joaquim





Leitão deu-lhes umas filmagens (as mesmas que mandou para o ICA para os subsídios) e disse: Desenmerdem-se.

Merda fizeram, faltou foi o "desen".







FM – A introdução de “Tentação” exibe descaradamente o som dos Pink Floyd…
TIM – [Risos.] Mas isso foi precisamente uma das referências que eu tive sempre presente quando escolhia as sonoridades, fazer algo semelhante ao que eles fizeram em “La Valée”, esse tipo de ambientes. 

Tim sorri com a insinuação de plágio....e admite-a a seguir. Se fosse o Tony já tinham sido criados 20 blogs a denunciá-lo. Finalmente, nova mensagem ambientalista.

FM – Nos quatro temas cantados, as letras são um bocado simplistas, não acham?
TIM – Minimalistas! Não me preocupei muito com isso. As mensagens que eu queria dar eram muito descritivas das personagens e das suas emoções. “A voz do mal”, por exemplo, pretende mostrar a perseguição que o mau faz à rapariga. O “Para Sempre” é sobre o juramento que eles fazem no final do filme.

Incrível, um jornalista que encara o boi pelos cornos. Simplistas? Nããã...Minimalistas. E esboça um esforço para se explicar. Sem sucesso diga-se.

Conclusão. Todas as que já tirámos aqui anteriormente.

Locais onde os Xutos vão (OUTRA VEZ!!!)

SEMANA ACADÉMICA DO ALGARVE

SEMANA ACADÉMICA DE AVEIRO

SEMANA ACADÉMICA DA UTAD

SEMANA ACADÉMICA DA UNIVERSIDADE DO MINHO


Começa o pé de meia 2010...

terça-feira, 30 de março de 2010

Estamos de volta!!!



Sejam então muito bem-vindos ao renovado e funcional blog do Movimento Anti-Xutos. Subimos de vida e de ambição. Queremos abrir as portas ao mundo das redes sociais e acolher todos os vossos contributos. É por isso que decidimos incluir botões de partilha para o Facebook, Google Buzz e Twitter para que possam partilhar as vossas gargalhadas/indignações pelo mundo fora. Mas as novidades não ficam por aqui. Teremos novas rubricas, personagens, vídeos, entrevistas, autores, etc... 

Podes então tirar os sapatos, pôr-te confortável e desfrutar de mais uma mão cheia de ódio gratuito e non sense a rodos sempre com os Xutos como alvo. Sem ti este blog não será mais do que uns tipos com uma ideia polémica. Sem ti, este blog já não existia.

O nosso agradecimento,

Cóbu e Pajó

quarta-feira, 17 de março de 2010

Voces Palhaços

"GANDA PALHAçADA, VOCES ( OS CONHECEDORES) DEVIAM TER VERGONHA DO VOçO BLOG DE MERDA...A MUSICA DOS CHUTOS TAMBEM NAO E O MEU ESTILO, MAS SOU MUSICO COMO A MAIOR PARTE DOS PALHACOS DESTE BLOG, E COMO MUSICO APRECIO E ADMIRO TODO O TRABALHO MUSICAL E ACHO QUE é ESCELENTE A IDEIA DE METER OS PUTOS A CANTAR NUM "BEST OF"... OS FINS DA HISTORIA éRA DE VENDER E FOI CONSEGUIDO...NAO SAO VOCES PALHACOS DE MARDA QUE VAO CRITICAR ESTE TRABALHO... QUANTO AO "MAIS GORDO" COMMO ESSE URSSO DICE? CHAMACE RENATO GIL "


Agradece-se que alguém descodifique este mail que um estimado acompanhante/xutista do blog teve o obséquio de nos enviar...


Ps. Já li 5 vezes e ainda não percebi...

segunda-feira, 15 de março de 2010

Pumba..lá vem mais do mesmo!!!

http://www.noticiasdevilareal.com/noticias/index.php?action=getDetalhe&id=7521

Vamos deixá-los escapar impunemente desta vez?

domingo, 14 de março de 2010

Ainda o gesto de Mou

A sensibilidade às especificidades culturais de cada país é decisiva para a gestão internacional. Ao que parece um gesto de rendição incondicional (lolol) a uma banda gasta que nem uns sapatos velhos seria ofensivo em Itália. Imaginem então um concerto dos Xutos por aquelas bandas...

terça-feira, 9 de março de 2010

O Arrastão


Agora que sensivelmente um ano passou do lançamento do último álbum dos Xutos olhamos para trás e reconhecemos o nada que este contribuiu para a música portuguesa. As rádios varreram os seus grandiosos 2/3 (?) singles, nenhum clássico ficou no tímpano.

As novelas rodam, disfarçadamente, antigas glórias de tempos antigos que apenas para a nostalgia ficaram. O fã xutista lá tem de soprar o pó das suas relíquias que teimam em continuar em cima da parafernália de pisa-papeis que, após a reacção infantil ao novo brinquedo, caem no esquecimento que as banalidades invariavelmente merecem.

Se no campo das artes estamos conversados, que dizer de nova presença no Rock in Rio? Poderemos esperar algo mais do que se passou em 2008 ou 2006? As respostas tem tanto de óbvio como de revelador da redundância cíclica que um bando de cinquentões se sujeita em busca de nova gamela dando lustro a um ideal punk que definhou num arrastão comercial permitido e enjeitado por uma comunidade de fãs com o gosto e apreciação crítica de um morcego.

Haja esperança que a morcegagem saia da caverna.

domingo, 7 de março de 2010

Isto sim eram Xutos



Tem alguma coisa a ver com os dias de hoje?

quarta-feira, 3 de março de 2010

Mourinho castigado por ser fã de Xutos


Um grande obrigado ao Sérgio pelo contributo no FB.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Frase do dia

"Em vez de nos dizerem daqui a dez anos que estamos velhos, é melhor acabar agora com classe e estilo. "


Matthias Jabs, 54 anos, 32 dos quais passados nos Scorpions


in www.ionline.pt

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Tim: "Vou andar a embaixar coisas"








"Tim, natural de Ferreira do Alentejo, vocalista dos Xutos e Pontapés e o actor Nicolau Breyner, natural de Serpa, são os dois novos embaixadores da região.
A Entidade Regional de Turismo vai apresentar no dia 2 de Março mais dois nomes que pretendem conquistar mais portugueses para visitarem o Alentejo.
Ceia da Silva, Presidente da Turismo do Alentejo quer em 2010 “trabalhar mais com os embaixadores levando-os a visitar várias unidades hoteleiras levando assim o seu nome e a sua terra por outras paragens”.

Tim e Nicolau Breyner juntam-se à princesa Diana de Cadaval, Eduardo Dâmaso, João Cutileiro, Paco Bandeira e Sandra Barata Melo na promoção da região Alentejo."


Sinceramente não percebo para que paragens quer o senhor Silva levar o Alentejo.

Se com isso ele quis dizer Guarda, Castelo Branco ou Bragança falha redondamente porque de interior está essa malta farta (e dele também).

Se quis dizer Algarve, Coimbra e Leiria também não dá, eles andam tão fartos dele pela quantidade de vezes que os Xutos já lá tocaram.

Se pretendem apelar o consumidor Premium…o Tim sempre transportou uma percepção de requinte, classe, charme, luxo e elegância……a comer rodelas de chouriço.

Não o levem é a uma Feira Gastronómica que isso não tem mistério para ele e dá prejuízo.

Andar com o Tim em riste de hotel em hotel foi a melhor coisa que se lembraram? 

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Muito apropriado...

http://www.omirante.pt/noticia.asp?idEdicao=54&id=36545&idSeccao=422&Action=noticia

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Voar baixinho

Deve ser inédito no mundo da música alguma vez uma banda ter como plug in inicial na sua página web um anúncio não institucional de uma ridícula mota. Os factos estão à vista e quem não se apercebeu disso até agora não vai ser com mais um texto sobre o assunto que vai mudar de ideias. Até porque os estimados fãs já nos habituaram a racionalizações porque sim que muito nos divertem.

O que sim gostaria de denunciar é o absoluto desligamento da banda às formas de comunicação directa com os seus fãs. Não falo durante a promoção de um qualquer cd de coisas fofas ou as afamadas tournées que redundam invariavelmente numa espécie de ritual pagão de bajulação da mediocridade que expõem uma estranha realidade de apego excessivo dos portugueses a fórmulas cujo resultado matemático é invariavelmente igual a indeterminação, banalidade e um gritante conservadorismo musical que não cria, não contribui, não abre horizontes. Nestas alturas chovem press releases, fabricações de polémicas que são prontamente desvalorizadas e cobertura mediática fiel à garantia de que uma boa quantidade de gente vestida de preto de braços cruzados irá ver, ler ou ouvir.

E quando os holofotes se apagam e os microfones se afastam? O ocaso. Vejam com os próprios olhos encerramento em catadupa de blogs e páginas controladas pela máquina publicitária Xutista. As redes sociais são um deserto povoado por camelos à espera de uma mensagem, um vislumbre de uma oportunidade de contactar directamente com os seus ídolos. O entusiasmo depressa se desvanece com os meses de espera por uma demonstração de carinho e agradecimento. O longinquo oásis não passa de uma miragem. Não conseguem esconder a desilusão da realidade de que os Xutos se estão a cagar para tudo aquilo que não tenha pasta ou câmara de filmar a registar o momento potenciador de mais pasta.

É este o mundo de um fã de Xutos, só e triste à espera de um amor não correspondido.


sábado, 6 de fevereiro de 2010

Ahhh bolas pá...Onde andam os Xutos?


Uma entrevisteca para falar dos que os outros tem feito.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Reacções aos Xutos no RIR 2010


A caixa de comentários encheu com mensagens de insurreição quanto ao agendamento dos Xutos e Pontapés (mais uma vez) no RIR 2010. Parece até que as pessoas se começam a aperceber do produto gasto e usado que os Xutos são. Isto e o facto da organização não estar disposta a promover bandas e projectos portugueses de qualidade (que existem!). 

É tudo isto uma grande metáfora ou prenúncio de morte anunciada de uma banda que se arrisca a cair no ridículo por mais uns tostões?

Pode ser que o público lhe dê o tratamento Nickelback.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Verdades deste nosso mundo

Zé Pedro troca as linhas de coca pelas linhas de roupa.

http://www.vidas.correiodamanha.pt/noticiaComentar.aspx?channelid=B2EEF6CE-6025-427C-89E6-4B71D15619D8&contentid=981C8B06-08E4-4D07-A662-9A5CF055CCF4

Xutos no RIR 2010

Eu gostava que os ditos fossem cabeça de cartaz, mas lá vão eles levar com o horário mágico das 19h00 para fazer música ambiente enquanto a malta chega do trabalho...

E o que é que vai ter de novo em relação a 2006 e 2008?

Vocês adivinharam...

sábado, 30 de janeiro de 2010

Paradoxo



 
Alguns estimados leitores tem-se insurgido quanto a putativas repetições nos assuntos abordados neste blog. Curioso se constatarmos que a sua banda de eleição faz exactamente o mesmo nos seus concertos e não vejo ninguém queixar-se.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Herança

Tenho ideia que os bons momentos que Joe Strummer ou Joe Simonon nos proporcionaram tiveram o seu tempo e contexto. Aquele unapologetical rock indie sobrepunha uma realidade redundante na mediania e no popularucho criando uma legião de jovens fãs que encontravam nos riffs e letras complexas a vocalização de um sentimento generalizado que influenciou outras grandes bandas...e os Xutos.

A década de existência dos Clash marcaram o início e o fim de um estilo de música, esta retirou as suas influências e evoluiu para outras experiências. Curioso como uma banda que se fixou exactamente naquele estilo de música e por um período três vezes superior que os seus percursores estancou num limbo de rigidez criativa e mediocridade dilacerante. Os Xutos há muito tempo que não fazem música, dedicam-se agora à pesca desportiva de euros. Os seus álbuns são autênticos exercícios de sadismo para pobres de espírito, incapazes de se dissociar da percepção que reina no nosso país de que os Xutos e Pontapés são os máióres. Arrebanham-se com gosto, em comuns currais de festeiros interessados em vender cerveja, misturando-se entre pessoas interessadas em ter uma noite bem animada com muita gente.

Mas a maior traição de todas foi a das suas origens reaccionárias. Há muito que estas deram lugar ao pragmatismo capitalista de manipulação dos mass media para se manterem polémicos e interessantes. O caso da "Sem eira, nem beira" dói de evidente. As sucessão de entrevistas, bem ao jeito do lançamento do novo single, em que põem em causa a liberdade editorial das rádios e se propõem a derrubar peças de dominó esbarra com a presença de Zé Pedro na festa do PS e as suas entrevistas de simpatia como patética tentativa de branquear tudo aquilo que se passara nem dois meses antes.

Mas o que é que isto tudo interessa? Existem há 30 anos e , ao que parece, tudo é justificado por isso...até a incapacidade de produzir um sucesso, por mais pop que sejam há mais de 20. E nem vou falar de boa música, isso seria falar de bogalhos.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

História da Carochinha



Soube há dias da existência de um livro que explora os concomitantes em torno do desenho da marca Xutos. Para além de lamentável e confrangedor o reconhecimento tácito que a admissão do nome de uma banda como um bem intangível, conversor de valor acrescentado para virtualmente qualquer produto que a imaginação consiga congeminar, choca-me mais a promoção descarada e apropriadora de um sentimento de admiração (doentia é certo) por parte de uma banda que há muito se limita a desfilar honras de outras conquistas de outros tempos, qual militar reformado que não se apercebe que o seu contributo terminou com o seu estofo e competência para a tarefa.

Digamos que os Xutos são os Mr.T da música portuguesa, aproveitando-se da notoriedade que a sua longa carreira implica. Inocente a isto não será o esgrimar sistemático do argumento do número de anos de carreira que a banda tem por parte dos fanáticos que aqui vão passando. Mal saberão eles que quando se justificam méritos com o passado destapam os pés da realidade musical que os Xutos não são.

Por isso jovem fã de Xutos, ligue ao seu amigo fã de Xutos do seu telemóvel Xutos, vista a t-shirt Xutos, pegue na tua mota Xutos e vá até ao concerto Xutos e não se esqueça...leve umas cervejinhas....Xutos.

Os Xutos agradecem.

domingo, 24 de janeiro de 2010

Não queiram os Xutos fazer o mesmo...

...ainda levam com os mesmos comentários no fim da página...


http://www.ionline.pt/conteudo/43475-scorpions-chegam-ao-fim-depois-40-anos-carreira--video

...e caírem no ridículo em que eles caíram.


PS. Ambas já tocaram no Festival do Crato, o que é meio caminho andado.

Os Xutos lêem o nosso blog

Depois de termos promovido um inquérito para descobrir qual a mota ideal para os Xutos, eis que os ditos abordaram a única empresa que produz motas em Portugal a desenvolver uns autocolantes dos Xutos e voilá.....

Temos uma mota Xutos.



Depois da cerveja Xutos, do telemóvel Xutos, do livro infantil Xutos ou da BD Xutos esta mota promete revolucionar os maluquinhos por Xutos a endividarem-se, de novo, para adquirir uma mota que é exactamente igual às restantes da AJP.

Mas o que é que isso interessa? Se os Xutos são os maiores, logo esta mota com autocolantes dos Xutos é a maior!

Continua o placement da marca Xutos como algo genuinamente português...como se o que fosse genuinamente português fosse enganar as pessoas desta forma..